COMO CONCLUIR UMA REDAÇÃO


Finalizando a nossa trilogia textual, vamos hoje refletir sobre o último passo da construção do texto dissertativo-argumentativo: a Conclusão, que representa o fechamento da redação, a síntese do ponto de vista do autor sobre o tema, depois de ele ter exposto seus argumentos ao leitor de forma clara e consistente.
Se o ponto de vista – a tese – do produtor textual já aparece na introdução e de maneira implícita no desenvolvimento, na Conclusão, ele pode reaparecer como Reafirmação do Ponto de Vista, ou seja, utilizando-se de outras palavras, o autor irá asseverar o seu posicionamento frente ao tema.
Veja, por exemplo, a Introdução de um texto cujo tema é Os acidentes de trânsito no Brasil:
“A população brasileira vem convivendo atualmente com uma situação somente comparável a uma enorme tragédia: a impressionante estatística de acidentes ocorridos no trânsito. Números recentes, informados diariamente pela mídia, nos dão conta que nunca se matou tanto no Brasil como nos tempos atuais. Faz-se necessário que a sociedade brasileira tome uma séria e urgente providência com relação a este assunto.”
E a Conclusão desse mesmo texto:
“Um país sério, uma sociedade responsável, órgãos de trânsito que se dizem competentes não podem conviver com essa situação. É imprescindível uma tomada de posição para que essa guerra não declarada chegue logo ao seu final.”
No entanto, alguns exames de avaliação ultimamente vêm exigindo dos candidatos uma proposta de intervenção para o tema que, tradicionalmente, se refere a um problema social.
Veja, a seguir, uma proposta de intervenção considerada excelente apresentada pelo produtor textual para o ENEM, de 2011: “Viver em rede no século 21: os limites entre o público e o privado

“… é essencial que nessa nova era do mundo virtual, os usuários da rede tenham plena consciência de que tornarem públicas determinadas informações requer cuidado e, acima de tudo, bom senso, para que nem a própria imagem, nem a do próximo possa ser prejudicada. Isso poderia ser feito pelos próprios governos de cada país e pelas próprias comunidades virtuais através das redes sociais, afinal, se essas revelaram sua eficiência e sucesso como objeto da comunicação, serão, certamente, o melhor meio para alertar os usuários a respeito dos riscos de seu uso e os cuidados necessários para tal.”
Alguns professores e especialistas sinalizam para a necessidade de o produtor textual usar a “criatividade” ao apresentar uma proposta de intervenção. Convenhamos: em um ambiente normalmente tenso, no qual o candidato sequer sabe o tema proposto, sugerir, nesse momento, o uso de criatividade parece nonsense.
Seja na Reafirmação do Ponto de Vista ou na Proposta de Intervenção, atente para a necessidade de elas estarem coerentes e em sintonia com a progressão das ideias construída ao longo do texto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário